J. PEIXOTO, “O PROFESSOR”

Muito antes de Dai Vernon ganhar o epíteto de “O Professor”, um mágico brasileiro alcançou essa honra. João Peixoto dos Santos o nosso J. Peixoto foi um dos grandes expoentes e divulgadores da mágica no Brasil.

O texto abaixo foi retirado do blog de Ozcar Zancopé. As imagens também são méritos do mágico Ozcar.

João Peixoto dos Santos, ou simplesmente J.Peixoto, tem a máxima importância para o desenvolvimento da Arte Mágica no Brasil, pois foi através do seu incansável trabalho e ferrenha dedicação que a mesma deu seus primeiros e decisivos passos.

João Peixoto dos Santos. Créditos: Blog Ozcar Zancopé

A história do seu interesse pela Arte Mágica não é muito diferente do da grande maioria, ou seja, ainda com pouca idade, aproximadamente por volta dos 15 anos, toma contato com alguns livros e se apaixona de forma irreversível por ela. Porém, a falta de contato com outros adeptos não lhe permite avanços significativos. Somente a partir do ano de 1900 é que começa uma nova e produtiva fase. J.Peixoto, já com 21 anos de idade , tem a oportunidade de assistir espetáculos de grandes Mágicos que passavam pelo Brasil, como Chéfalo, Dr. Richards, Faure Nicolay, Watry, Maieroni, Raymond, entre outros. A presença desses artistas estimulou o interesse de outras pessoas e, em consequência, a necessidade de novos conhecimentos. Através deles, Peixoto tem informações sobre o movimento mágico na Europa e Estados Unidos, bem como da existência de lojas que comercializavam equipamentos para mágicos e também de sociedades onde os mágicos se reuniam para estudar e aperfeiçoar seus conhecimentos. Vai para Paris e visita as lojas, conhece novos mágicos, adquire o que havia de melhor em equipamentos e volta para o Brasil desejoso de implantar algo parecido com o que tinha visto.

Sua casa virou ponto de encontro de aficionados, tornando-se, também, passagem obrigatória de todos os grandes mágicos que cumpriam temporada em São Paulo, onde residia desde 1902, sendo reverenciado como a maior autoridade em magia no Brasil.

Tornou-se conhecido em todo o mundo; correspondia-se com as maiores notabilidades mágicas internacionais, entre elas, Harry Houdini.

O contingente de amadores cresce e as necessidades de equipamentos também. Peixoto começa a fabricação e importação de equipamentos e os comercializa. Grande parte vinha dos Estados Unidos, França e Alemanha.

Em 1910 instala a primeira loja de mágicas do Brasil, ” A Casa das Mágicas”. Edita o “Boletim de novidades mágicas” (órgão oficial da loja), e catálogo totalmente ilustrado, além de suplemento de novidades para profissionais, pois muitos daqueles amadores se profissionalizaram e essa necessidade tornou-se imperiosa.

Publicou o periódico “O Propagandista – Jornal do Farsista”, cujo objetivo era a divulgação dos equipamentos que comercializava, a prestação de informações e o combate a falsos médiuns e fenômenos ditos paranormais.

Incansável, Peixoto funda em 1918, juntamente com outros Mágicos, a “Associação dos Artistas Prestidigitadores” que tinha como órgão oficial de divulgação o boletim “O Prestidigitador”, porém, por falta de apoio e interesse dos demais, ambos foram descontinuados.

Em parceria com Corrêa Pereira, edita em 1920 o livro “A Prestidigitação Revelada” que, segundo dados históricos, esgotou-se na 2ª Edição.

Em 1921 funda o “Circulo Mágico Internacional” e lança o “Boletim Mágico” como seu órgão oficial de divulgação, cujo período de atividade, sob a sua batuta, vai de 1921 a 1925.

Em 1929 edita o “Curso de Prestidigitação e Transmissão do Pensamento”, que se esgota rapidamente. Em seguida lança o “Curso de Mágicas por Correspondência”.

A “Casa das Mágicas” tem agora o seu órgão oficial: “Jornal do Mágico”, cujo lançamento ocorre em 1936.

Coroando de forma ímpar a trajetória desse importante baluarte da nossa arte, seguem-se os lançamentos de seu maior feito; Em uma época que, seguramente as coisas não deviam ser fáceis, edita três livros, referências até os dias atuais de colecionadores e estudiosos do Brasil e de outras partes do mundo: “Tratado Completo de Prestidigitação e Ilusionismo” (1937); Curso Prático de Prestidigitação e Ilusionismo” (1943); Trucs de Magia Selecionados” (1946).

Nascido em Minas Gerais, na Cidade de Formiga (17/05/1879), foi casado com Dona Maria José de Campos Peixoto e teve oito filhos (cinco mulheres e três homens), sendo que alguns fizeram parte do grupo “Os Peixotinhos”. Embora não saiba precisar quantos deles participavam , tenho na lembrança os comentários que me fazia um deles, Norman Peixoto dos Santos, integrante do grupo e continuador do trabalho do Pai, sobre o sucesso e volume significativo de suas atuações. Essa foi mais uma das “criações” vitoriosas do “Professor“, assim chamado por todos os que o conheceram.

Nosso querido Professor tinha somente 67 anos quando deixou para sempre o “palco da vida” (06/09/1946), e em sua Certidão de Óbito está escrito: “Não deixa bens“. Para o Escrevente os bens materiais, para nós Mágicos, deixou uma herança incontestável!

Apresentação de J.Peixoto. Créditos: Blog Ozcar Zancopé

 

Apresentação de J.Peixoto. Créditos: Blog Ozcar Zancopé

 

Cartaz do show “Os Peixotos” – Créditos Blog Ozcar Zancopé

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s