O DIA EM QUE HOUDINI DESAFIOU CTHULHU

Muito já foi escrito sobre a vida de Harry Houdini, fora as muitas horas de filmes e documentários. Sua vida inteira é um imenso livro aberto. Porém, há um pedaço da história de Houdini que poucos conhecem. Mas, para falar deste pedaço da biografia do grande escapista, é preciso primeiro falar de seu contemporâneo Howard Philips Lovecraft, carinhosamente chamado de H.P. Lovecraft, o famoso escritor de contos de horror.

Lovecraft foi um escritor de contos de horror, criador do estilo chamado “horror fantástico”. Seu estilo literário, sombrio e envolvente logo lançou-lhe como um dos expoentes do gênero. Além disso, criou uma rica ambientação mesclando lugares reais e imaginários (fazendo com que o leitor por muitas vezes acredite que aquilo é mesmo real), seres fantásticos e muitos mistérios inexplicados.

Foi ele o criador do Necronomicon, um livro todo escrito em sangue sobre pele humana e que supostamente continha os segredos ocultos sobre a morte e sobre os seres antediluvianos, poderosas criaturas alienígenas que reinaram antes dos deuses modernos. Dentre os antediluvianos o mais famoso é sem duvida Cthulhu, um monstro capaz de se comunicar por sonhos e causar terríveis pesadelos.

[não lembro da fonte, :$]
Cthulhu

Mas antes de se tornar um famoso escritor e criar seu rico panteão, Lovecraft fazia a vida trabalhando para a revista “Weird Tales”, uma revista trimestral de contos macabros idealizada por J.C. Henneberger.  Devido a seu estilo de mesclar o real com o fictício, Lovecraft buscava casos reaiscomo inspiração para suas histórias. E naquele ano haveria de escolher um fato bastante curioso: Uma viagem de Houdini ao Egito.

Em uma carta a seu amigo Frank Belknap, datada de fevereiro de 1924, Lovecraft discorre sobre o texto que viria a escrever:

Quando Houdini esteve no Cairo com sua esposa, em uma viagem de lazer e não de negócios, seu guia, um árabe, se envolveu em uma briga de rua com outro árabe. E, de acordo com a tradição local, a luta derradeira iria acontecer naquela noite, no topo da Grande Pirâmide; e o guia de Houdini, sabendo do interesse do mágico por esquisitice, convidou-o para prestigiar o evento noturno. Houdini foi, e viu briga enfadonha seguida por uma mecânica reconciliação.

Havia algo de estranho, e ensaiado, naquilo tudo, e o mágico foi duramente surpreendido quando repentinamente o roteiro todo foi revelado, e Houdini se viu amarrado e amordaçado pelos dois árabes que fingiram brigar. Havia sido tudo armado – os nativos ficaram sabendo que ele era o ”grande mago do ocidente” e estavam determinados a testar os seus poderes em uma terra onde os magos já haviam reinado supremos.

Sem nenhuma cerimônia, os árabes jogaram Houdini por uma abertura no telhado do “Templo dos Faraós (A Tumba de Campbell). Um abismo de quase 9 metros de altura que descia através da cripta banhada pela noite, e que possuía sim uma entrada normal – uma janela para ventilação bem longe do local que Houdini se encontrava – como abertura.

Com uma corda, os árabes desceram Houdini pela morada da escuridão e da morte e ali o deixaram, sem que houvesse qualquer maneira de subir de volta, amarrado e amordaçado entre reis mortos e sem qualquer idéia de como ele acharia a saída. Horas mais tarde, Houdini alcançaria a saída verdadeira, livre de amarras e tremendo até a alma com a terrível experiência pela qual passou, a qual, até hoje ele hesita em falar sobre. Será o meu trabalho inventar o incidente e dar a ele os meus macabros toques.

Mesmo assim, não sei o quão longe eu possa ir, uma vez que, com a amostra da história de Houdini que Henneberger me enviou, eu seja levado a crer que tudo não passa de uma tentativa do mágico de vender essas “munchhausens[mentiras] como sendo uma história real. Ele é extremamente egoísta, isso pode ser notado só de se olhar para ele. Mas, em todo o caso, eu creio que terei que criar alguns fatos chocantes… cavernas subterrâneas inesperadas, uma luz trepidante em meio a corpos embalsamados ou um terrível destino para o guia árabe que buscou assustar o nosso herói.

Em maio daquele ano, a “Weird Tales” publicava o conto “Imprisoned with the Pharaohs”, sob a assinatura de Houdini. No conto Houdini busca descobrir a verdade sobre algum demônio que habitava aquelas ruínas. Como todos os contos de Lovecraft o texto acaba não sendo conclusivo sobre o que realmente havia naquelas ruínas.

Capa da revista "Weird Tales", maio de 1924

Interessante observar a visão que Lovecraft fazia de Houdini: “Ele é extremamente egoísta, isso pode ser notado só de se olhar para ele”. Mesmo assim, precisando de dinheiro e ainda sem uma fama que lhe pudesse por a escolher seus trabalhos, Lovecraft faz o melhor que pode.

Tanto que, à época, este texto foi considerado uma das melhores obras escritas por Lovecraft até então.  Lin Carter, outro famoso escritor de histórias de horror, escreveu a seguinte crítica sobre o texto de H.P.: “O mistério e o romance da antiguidade mexeram profundamente com Lovecraft, e a glamorosa ambientação egípcia desta narrativa ficcional trouxe consigo uma torrente criativa, fazendo dessa, uma de suas mais poderosas e evocativas obras”.

Quanto á reação de Houdini, Lin Carter afirma que o próprio Houdini ficou admirado com a qualidade da obra. Outras fontes afirmam que Houdini ficou tão impressionado com o texto, que chegou a cogitar um número de escapismo nas pirâmides (essa a intenção original de Houdini de “inventar” tal viagem). O certo é que o mágico acabou usando elementos egípcios em alguns de seus shows.

Cartaz de um dos shows de Houdini. Repare nos elementos egípcios vistos no cartaz.

Para ler o texto “Imprisoned with the Pharaohs” (em inglês), clique aqui

FONTES

http://www.geniimagazine.com/forums/ubbthreads.php/topics/223535/H_P_Lovecraft_ghostwriting_as_#Post223535

http://en.wikipedia.org/wiki/Under_the_Pyramids

http://www.yankeeclassic.com/miskatonic/library/stacks/periodicals/weirdta/wt1923/wt1924.htm#050607

http://www.yankeeclassic.com/miskatonic/library/stacks/literature/lovecraft/stories/imprison.htm

http://download.cnet.com/The-Transition-of-H-P-Lovecraft-by-H-P-Lovecraft/3000-2125_4-75144149.html

http://strait-acting.blogspot.com/2007/07/imprisoned-with-pharaohs.html

http://archaeopop.blogspot.com/2009/06/archaeology-in-fiction-hp-lovecraft.html

PS: Existem outros textos atribuidos a Houdini na revista “Weird Tales“. Possivelmente outros escritores fantasmas tenham utilizado o nome de Houdini para alavancar a revista. Assim que tiver mais informações sobre isso, postarei aqui!

2 comentários sobre “O DIA EM QUE HOUDINI DESAFIOU CTHULHU

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s